Roteiros Integrados | GCVB – Goiânia Convention e Visitors Bureau
 
 

 
 
Requisi��o Ajax com gif Animado - Felipe Silveira

Clima em Goiânia

GCVB

 

Roteiros Integrados

Brasília

 

A construção de Brasília iniciou-se em 1956, e a cidade foi inaugurada em 21 de abril de 1960 pelo Presidente Juscelino Kubitschek. Seu projeto foi desenhado por Lucio Costa, e os edifícios principais por Oscar Niemeyer.

Planejada para uma população de apenas 500.000 habitantes, Brasília viu sua população crescer muito além do esperado. Sucessivas cidades satélites foram sendo criadas ao longo dos anos para acomodar a população extra. A população total de Brasília (incluindo as cidades satélites) já é de mais de 2 milhões de habitantes, sendo o Distrito Federal dividido em 29 Regiões Administrativas.

Brasília foi registrada, no ano de 1987, como Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade. Porém, Brasília é muito mais do que um patrimônio histórico ou um marco arquitetônico. É uma cidade viva e única, uma cidade amada pela maioria dos seus habitantes, uma cidade que realmente vale a pena conhecer!

Pontos Turísticos

  • Igrejas e Templos:

    • a Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida – inaugurada em 31/05/70. Em 1988 uma pintura branca cobriu o concreto aparente, e os vidros incolores foram substituídos por vitrais nas cores branca, verde e azul, de Antônia Marianne Peretti;
    • o Santuário Dom Bosco;
    • a Catedral Militar Nossa Senhora Rainha da Paz;
    • a Igreja Nossa Senhora de Fátima (conhecida como ‘Igrejinha’);
    • o Templo Ecumênico da LBV. O interior do templo tem inúmeros locais interessantes para se ver, como por exemplo esta mandala.
  • Edifícios e Monumentos:

    • a Praça dos Três Poderes, ao redor da qual se pode ver vários dos mais importantes edifícios governamentais – o Congresso Nacional , o Palácio do Planalto, e o Supremo Tribunal Federal – além de diversos monumentos (como o Panteão da Liberdade e o Mastro da Bandeira). Também na Praça se localiza o Espaço Lúcio Costa, onde se pode observar uma grande maquete do Plano Piloto;o Palácio da Alvorada, a residência oficial do Presidente da República;
    • o Catetinho, primeira residência presidencial da cidade – foi construído em apenas 10 dias e inaugurado em 31/10/56;o Teatro Nacional Cláudio Santoro, em forma de pirâmide truncada;
    • o Memorial JK;
    • a Ponte Juscelino Kubitschek, inaugurada em 15/12/2002;
    • o Complexo Cultural da República (a mais recente obra de Niemeyer em Brasília), inaugurado em 15/12/2006.
  • Vistas panorâmicas da cidade:

    • da plataforma de 75 metros de altura construída especialmente para servir de mirante, na Torre de TV, que tem ao todo 224 metros;
    • fazendo um vôo panorâmico de helicóptero. O heliporto fica junto à Torre de TV (para maiores informações, consulte J. Helicóptero).
    • voando num ultraleve;
    • no Espaço Lucio Costa, localizado no subsolo da Praça dos Três Poderes, há uma grande maquete do Plano Piloto.
  • Alguns dos outros inúmeros pontos turísticos:

    • os vitrais no edifício-sede da CEF – em número de 24 ao todo, cada um representa um estado brasileiro;
    • a Feira de Artesanato, junto à Torre de TV. Funciona nos fins de semanas e feriados. Na Torre de TV funciona também o Museu Nacional de Gemas;
    • o Parque da Cidade;
    • o Jardim Botânico;
    • o Zoológico;
    • o Parque Nacional de Brasília.

Caldas Novas

 

Águas com temperatura que chega até 51ºC, cercadas por deliciosos lagos, cascatas, variados tipos de pássaros e a visão de uma linda serra. Tudo isto, com o conforto de luxuosos hotéis, apart-hotéis ou aconchegantes pousadas, chalés e campings, somados a uma população amistosa e acolhedora, um aeroporto e uma completa infra-estrutura.

Essa é a receita que faz de Caldas Novas, município localizado a 160 Km de Goiânia, o maior complexo hoteleiro do Centro-Oeste.

A comprovada capacidade terapêutica das águas quentes da cidade pode ser usufruída pelos mais variados tipos de turistas.

Para os que gostam da modernidade, os hotéis e clubes locais oferecem os mais atuais recursos deste tipo de lazer, como toboáguas, bar aquático, atividades esportivas, etc.

Já para os que preferem a calma e as belezas da natureza, há as saunas naturais, os bosques, nascentes, cascatas e uma variada espécie de fauna e flora – desde tucanos, juritis e canários – e uma mata frondosa, com ipês, canelas, paineiras, etc, na lendária e majestosa Serra de Caldas que abraça a cidade.

Comprovado por vários cientistas e hidrólogos, as milagrosas águas termais de Caldas Novas, possuem propriedades químico-minerais, que produzem os seguintes efeitos terapêuticos:

  • – Abaixa a pressão arterial
  • – Eliminação do stress e do cansaço
  • – Terapia de problemas reumáticos e gastrointestinais
  • – Desintoxicação do organismo e estímulo das glândulas endócrinas
  • – Acentuada elevação do vigor sexual

    As águas quentes estimulam o metabolismo do corpo e a diurese, fazendo com que haja uma eliminação de toxinas e um conseqüente relaxamento natural.

    A melhora das afecções alérgicas e do aparelho digestivo pode ser sentida em pouco tempo de contato com as águas quentes de Caldas Novas.

    Quem goza de excelente saúde, mas está em busca de um relaxante local para diminuir o stress e ansiedade, também encontra na cidade um excelente ponto de apoio.

    Em locais como a Lagoa de Pirapitinga, é possível se cozinhar um ovo em 3 minutos, mergulhando-o na água. Por isso, o local é bastante procurado pelos visitantes que gostam de observar fenômenos incomuns e acampar em contato direto com o verde.

Cidade de Goiás

Descobertas as Minas Gerais de um lado e as minas de Cuiabá , de outro, no século XVII , uma idéia renascentista (a de que os filões de metais preciosos se dispunham de forma paralela em relação ao equador) iria alimentar a hipótese de que, entre esses dois pontos, também haveria do mesmo ouro. Assim, foram intensificadas as investidas bandeirantes, principalmente paulistas, em território goiano, que culminariam tanto com a descoberta quanto com a apropriação das minas de ouro dos índios goiases, que seriam extintos dali mais rapidamente que o próprio metal. Ali, onde habitava a nação Goiá , Bartolomeu Bueno da Silva fundaria, em 1726 , o Arraial de Sant’Anna .

Pouco mais de uma década depois, em 1736 , o local seria elevado à condição de vila administrativa, com o nome de Vila Boa de Goyaz (ortografia arcaica). Nesta época, ainda pertencia à Capitania de São Paulo . Em 1748 foi criada a Capitania de Goiás , mas o primeiro governador, dom Marcos de Noronha , o Conde dos Arcos, só chegaria ali cinco anos depois.

Com ele, instalou-se um “Estado mínimo” e, logo, a vila transforma-se em capital da comarca. Noronha manda construir, então, entre outros prédios, a Casa de Fundição, em 1750, e o Palácio que levaria seu nome (Conde dos Arcos), em 1751. Décadas depois, outro governador – Luís da Cunha Meneses , que ficou no cargo de 1778 a 1783-, cria importantes marcos, fazendo a arborização da vila, o alinhamento de ruas e estabelecendo o primeiro plano de ordenamento urbano, que delineou a estrutura mantida até hoje.

Com o esgotamento do ouro, em fins do século XVIII , Vila Boa teve sua população reduzida e precisou reorientar suas atividades econômicas para a agropecuária, mas ainda assim cultural e socialmente sempre esteve sintonizada com as modas do Rio de Janeiro, então capital do Império. Daí até o início do século XX , as principais manifestações seriam de arte e cultura, com sarais, jograis, artes plásticas, literatura, arte culinária e cerâmica – além de um ritual único no Brasil, a Procissão do Fogaréu, realizada na Semana Santa.

Em Goiás você e sua família irá saborear os melhores pratos da culinária goiana como o famoso Peixe na Telha, o Medalhão, a Lingua ao Molho Madeira, a famosa Galinhada, e “o melhor Empadão do mundo” como dizem muitos.

Chapada dos Veadeiros

Área de beleza inigualável, apresenta suas peculiaridades tanto no período de seca, como no de chuvas, atraindo as pessoas  pelo misticismo e ecoturismo, pois é famosa pela energia espantosa que envolve a região, além das diversas cachoeiras, trilhas   e paisagens inesquecíveis, a preservação do meio ambiente e a natureza ainda não tocada e degradada pelo homem, graças ao esforço do IBAMA, entidades ambientalistas, população local e da administração pública local.

A Chapada dos Veadeiros, nas palavras do pesquisador, escritor e terapeuta holístico Ergom Abraham, “é um local predestinado a ser uma espécie de berço do novo homem, ou berço de uma nova raça”.

Alto Paraíso de Goiás encontra-se no entroncamento rodoviário da GO-118 e GO-327, no coração da Chapada dos Veadeiros sendo seu principal Município.

É considerada o santuário Goiano do misticismo, esoterismo e espiritualismo. Atravessada pelo Paralelo 14, da mesma forma que Machu Pichu, no Peru, proporciona fantásticas histórias sobre discos voadores e seres extraterrestres.

Além  do esoterismo, a cidade é propícia para o ecoturismo, visto que sua população tem uma consciência ecológica muito desenvolvida, e a natureza local é exuberante, com centenas de atrações dentre cachoeiras, vales, serras, fazendas, onde o acesso a esses locais se dá de automóvel até um certo ponto e depois caminhadas que podem variar de 300 metros a 10 kms, porém todas inesquecíveis por sua beleza e magia.

A cidade conta com uma infraestrutura voltada para o turismo, oferecendo pousadas, hotéis, hotéis fazenda, restaurantes, bares, pizzaria, venda de artesanato e um Centro de Atendimento a Turistas onde você encontra guias cadastrados que os conduzirão aos passeios.  Além do Aeroporto próximo à cidade que oferece inesquecível visão do mais belo pôr do sol da região.

Localizado no Estado de Goiás, a 250 Km de Brasília e 500 Km de Goiânia, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros pertence a uma das mais belas maravilhas encontradas no coração do Brasil – A Chapada dos Veadeiros. Criado em 11 de Janeiro de 1961 pelo Decreto no. 49.875 / 61, e ocupando área de 65.515 hectares, apresenta a seus visitantes um clima tropical quente semi-úmido, com temperatura média anual de 24 a 26 graus centígrados, variando entre o mínimo de 4 a 8 graus centígrados e o máximo entre 40 e 42 graus centígrados.

Com altitudes de 600 ms a 1650 ms, corresponde ao pedi-plano mais alto do Brasil Central. No ponto mais alto do Parque encontra-se a Serra de Santana.

O principal rio que drena o Parque Nacional dos Veadeiros é o Rio Preto, afluente do Rio Tocantins. Ao longo do seu percurso podemos encontrar várias cachoeiras, entre elas o Salto do Rio Preto, com 120 ms de altura, a base do salto, com 80 ms, e as Cariocas. Igualmente de grande beleza despontam os Canyons, paredões de até 40 ms de altura e vãos de até 300 ms.

Cristais de rocha afloram do solo entre a bela flora com variada vegetação do cerrado, composta por matas ciliares, campos cerrados, cerrados abertos típicos, como também por florestas de galeria, onde podem ser encontradas mais de 25 espécies de orquídeas, além de outras como o Pau d’Arco Roxo, a Copaíba, a Aroeira, a Tamanqueira, o Jerivá, os Buritis e o Babaçu.

A rica fauna da região abriga espécies ameaçadas de extinção como o Veado Campeiro, o Cervo do Pantanal, a Onça Pintada e o Lobo Guará, além de outras como a Ema, a Seriema, o Tapeti, o Tatu Canastra, o Tamanduá Bandeira, a Capivara, a Anta, o Tucano de Bico Verde, o Urubu Rei e o Urubu Preto.

O Parque Nacional dos Veadeiros dispõe de um centro de visitantes, além de alojamento para pesquisadores. A visitação éfeita com acompanhamento de guias que podem ser encontrados na comunidade de Alto Paraíso de Goiás ou no povoado de São Jorge, vizinho ao Parque.

Pirenópolis

 

Pirenópolis é uma pequena cidade histórica incrustada aos pés da Serra dos Pireneus, no interior de Goiás. Há inúmeras oportunidades para o lazer, entretenimentos e estudos. Cercada de morros, com dezenas de cachoeiras, a cidade, tombada como Patrimônio Histórico e Cultural Brasileiro, mantém seu aspecto antigo e bucólico, onde um povo hospitaleiro, alegre e festivo, convive com um ambiente de extrema beleza natural – retrato vivo da história goiana.

Pirenópolis é conhecida internacionalmente por suas manifestações folclóricas, a exemplo das famosas Cavalhadas e da Festa do Divino. Outras festas fazem também a graça do povo pirenopolino, que mantém tradições e costumes que o cidadão metropolitano não vê, como as procissões e festas nos povoados, com barraquinhas, fogueiras, queima de fogos, leilões, ranchões com forró etc.

Pirenópolis é considerada com o berço da cultura goiana. Foi aqui que surgiu as primeiras obras sacras, como as igrejas, imagens e retábulos; o primeiro jornal – Matutina Meiapontense; a primeira biblioteca; o primeiro cinema; etc. Incluindo neste mérito as antigas bandas de músicas, escritores, pintores e atores cênicos. Peças teatrais, como as operetas, eram encenadas desde fins do século XIX. Artistas consagrados nasceram em Pirenópolis, como é o caso de Veiga Valle, santeiro de expressão, considerado o Aleijadinho de Goiás, cujas obras estão expostas no Museu da Boa Morte na Cidade de Goiás, lugar onde viveu.

A artesanato típico é aquele que servia de utensíllios, como as penelas e potes de barros, os tecidos de tear rústicos, e os balaios e cestas de palha. Crochê, costura, doces e licores também fazem parte deste rol.

Da comida típica a internacional. lanches, sorvetes, quitandas, churrasquinhos, bebidas e vida noturna. Pirenópolis apresenta uma gastronomia rica e variada, destacando-se a comida goiana/mineira e exelentes pizzarias com forno a lenha e lugares mais que aconchegantes.

Hoje, temos em Pirenópolis uma diversidade de arte e artesanatos, devido a afluência de estrangeiros nas últimas décadas. São jóias de prata, pinturas e esculturas diversas distribuídas em muitas lojinhas e na feira de artesanato que acontece aos finais de semana e feriados na praça do coreto. Vale a pena conferir, tem gente boa no pedaço