Menu aqui

“Proposta de extinção da Secretaria de Turismo de Goiânia é esdrúxula”

0
Posted 8 de April de 2014 by Ton Freitas in Sem categoria
IMG_8344
Newton Pereira usou tribuna da Casa para tentar convencer vereadores a recuarem da proposta do Executivo. Opositores devem apresentar emenda para manter pasta
Alberto Maia/Câmara de Vereadores de Goiânia
Marcello Dantas

Vereadores da oposição devem apresentar uma proposta de emenda ao projeto do Executivo que prevê a manutenção da Secretaria Turismo de Goiânia (Setur) no organograma da prefeitura da capital. Foram colhidas assinaturas na sessão da manhã desta terça-feira (8/4) no plenário da Câmara Municipal, que contou com a presença de trabalhadores, estudantes e representantes do setor.

Presente na sessão, o empresário do ramo de restaurantes e presidente do Convention & Visitors Bureau, Newton Emerson Pereira, argumentou em entrevista que a existência da pasta é importante pela alta geração de emprego e renda vista no setor. Além disso, justificou, a extinção representa risco de perda de investimentos por parte do governo federal.

“Goiânia irá perder muito em fundo de investimentos e repasses de recursos [da União]. Um dos pré-requisitos [para investimento] do Ministério do Turismo é a que a cidade tenha uma secretaria instituída”, observou, calculando que o turismo poderá gerar R$ 500 bilhões este ano em impostos e encargos em todo o Brasil. Ao usar a tribuna, ele classificou a iniciativa como “esdrúxula”. A tentativa dos representantes da área e de empresários do ramo de hotéis foi a de pressionar os vereadores para vetarem o projeto, anunciado prefeito Paulo Garcia (PT) no dia 21 de março.

Hoje, o texto está na procuradoria jurídica da Casa e foi enviado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) para receber parecer técnico. Somente após análise jurídica é que a redação poderá ser apreciada na CCJ e, posteriormente, encaminhada para votação. A secretaria do turismo será realocada para a do Esporte e Lazer (Semel), juntamente com a autarquia Parque Mutirama.

A meta do Paço Municipal é reduzir gastos com a folha de pagamento e diminuir gastos com recursos públicos. Junto a do turismo, outras seis secretarias –– 25% da estrutura de primeiro escalão –– serão excluídas ou reformuladas no organograma. De acordo com o projeto de lei que será encaminhado à Câmara de Vereadores, as pastas extraordinárias que tratam de Políticas Metropolitanas, de Acompanhamento de Projetos e de Relacionamento Jurídico serão excluídas da administração.

As outras serão reformuladas: a do Legislativo será incorporada a de Governo (Segov); da Defesa Social (Semdef) a Guarda Civil Metropolitana (GCM); e a do Trabalho (Setrab) a da Indústria e Comércio (Semic).

Apoio do Estado

Estudantes e funcionários do setor estenderam faixa em forma de protesto contra extinção da secretaria

O titular da Secretaria de Cultura de Goiás (Secult), Gilvane Felipe (PSDB), também compareceu ao plenário e disse que estava na sessão para apoiar a manutenção da pasta e listou dois motivos: pela importância dela para o Estado e pelo fato de ambos os setores, cultura e turismo, se fortalecerem.

Fotos: Marcello Dantas/Jornal Opção Online

“Extinguir secretarias desnecessárias, tudo bem. Mas uma que representa um setor, um segmento da economia que é pujante, não poluente e que traz pessoas de outras unidades da federação e do mundo inteiro para conhecer nossos valores e movimentos, não seria um ponto positivo para a capital”, pontuou.

Segundo Gilvane, o governo estadual não articulará politicamente para que a proposta seja derrubada.

 

Eventos e negócios

Virmondes Cruvinel: com Goiânia estando entre as 30 cidades mais visitadas do país, não dá para extinguir pasta

 

Autor da proposta que pede a manutenção da pasta junto com o tucano Anselmo Pereira, Virmondes Cruvinel (PSD) ressaltou que Goiânia é referência na realização de eventos de negócios e nos atendimentos à saúde, atividades que, em sua análise, movimentam os hotéis da cidade. Para o pessedista, os cortes devem ocorrer em secretarias que não têm funções específicas ou nas que sejam semelhantes, como as extraordinárias.

Já Anselmo Pereira defendeu não só a existência, mas igualmente a reestruturação da pasta. Na visão dele, a função prioritária dela é fortalecer o turismo, ainda mais às vésperas da Copa do Mundo, pela proximidade da capital goiana com Brasília, que vai sediar jogos do mundial.

 

Sessão suspensa

Quando foram anunciados os cortes no Paço Municipal para economia de recursos Paulo Garcia havia antecipado que as estruturas não existiriam mais, porém os serviços seriam mantidos. Comentando sobre isso, Célia Valadão (PMDB), líder do governo na Câmara, justificou que, como gestor, o petista tem que tomar medidas que não agradava a todos.

Durante a fala com jornalistas, a peemedebista havia adiantado que uma reunião com o prefeito já havia sido convocada para tratar sobre o assunto, mas que ainda não havia data e horário marcados. Contudo, momentos depois, por volta de 11h, Célia Valadão pediu a suspensão da sessão por 10 minutos para reunião com a bancada de seu partido. As conversas ocorreram a portas fechadas na sala da presidência e durou até as 12h45h.

O pedido da líder do governo gerou insatisfação de alguns vereadores, que questionaram, em plenário, a necessidade da pausa no meio da sessão; outros reclamaram nos corredores da Casa. Mesmo assim, Anselmo Pereira pediu o mesmo tempo para seus pares, o que foi atendido sem ressalvas; os políticos se reuniram em uma das salas das comissões. Os membros do bloco moderado se encontraram em outro local.
Cargos do PMDB

Peemedebistas deixam presidência após reunião. Na pauta, definição de liderança de bancada e possível debandada do Paço

 

Izídio Alves, Paulo Borges, Célia Valadão, Eudes Vigor e Mizair Lemes, todos do PMDB, participaram da reunião com o presidente da Casa, o peemedebista Clécio Alves, e foram questionados pelo Jornal Opção Online sobre qual teria sido o teor da conversa. Descendo as escadas, a voz feminina respondeu que estavam decidindo sobre qual seria o posicionamento e a escolha do novo líder de bancada –– atualmente, a sigla não tem um. O novo nome será anunciado na próxima quinta-feira (10).

Sobre a possibilidade de o assunto ter sido a suposta debandada de peemedebistas dos cargos da prefeitura para, posteriormente, se oporem ao prefeito, um vereador relatou (sem gravar) que essa perspectiva foi abordada, mas que por enquanto, nada foi decidido.

Fonte: Jornal Opção


Sobre o Autor

Ton Freitas


0 Comentários



Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário


(obrigatório)