Menu aqui

14ª Semana Nacional de Museus

0
Posted 17 de May de 2016 by Ton Freitas in Acontece

Espaços reiteram a necessidade de se repensar a dinâmica de funcionamento e gestão

museu3

Com arquitetura em art déco, fundado em 1946, o Museu Zoroastro Artiaga, localizado na Praça Cívica, abriga coleção eclética.

Para adentrar às memórias e lembranças do Museu Pedro Ludovico, o público tem que bater a campainha do espaço, que fica fechado durante todo o dia. A justificativa é simples: ainda não há uma equipe de segurança no prédio histórico, localizado no Centro de Goiânia. Já para dar um passeio em mais uma exposição que ocupa os salões do Museu de Arte de Goiânia, as pessoas precisam ir até as 17 horas. Depois disso o museu encerra seu funcionamento. E atenção para aqueles que querem esticar os minutos do almoço nas galerias de arte do Museu de Arte de Goiânia (MAG) num passeio pelo Bosque dos Buritis. O prédio fecha suas portas ao meio-dia e só abre no período da tarde.

Espalhados por toda a cidade, museus de Goiânia reiteram a necessidade de se reformular seus horários de funcionamento, dinâmica organizacional e, ainda, política de mobilidade e acesso. No Museu de Arte Contemporânea (MAC), por exemplo, não há ainda uma forma mais funcional de acesso ao difícil Centro Cultural Oscar Niemeyer (CCON). E se, de forma coletiva, saísse um ônibus da região Central de Goiânia e fosse direto para o espaço cultural, como acontece em cidades como São Paulo, Belo Horizonte ou Rio de Janeiro?

Na 14ª edição da Semana Nacional de Museus, aberta ontem, em todo o País, a relação entre museus e paisagens culturais é o fio condutor das discussões. Em Goiás, a reflexão é colocada num momento crucial de debate. De acordo com a Superintendente de Patrimônio Histórico e Artístico da Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Seduce), Tânia Mendonça, ao longo de toda a semana, museus promovem uma programação especial que inclui mais de 50 atividades, como palestras, oficinas, exposições e visita mediada. “Trata-se de um momento para se repensar a dinamização dos museus no Estado”, aponta.

Com o tema Paisagens culturais: O museu, a cidade e o homem, a programação se estende ainda à abertura de exposições e lançamentos em diferentes museus do Estado, desde o Conde dos Arcos, na cidade de Goiás, até o MAC, com ações educativas e uma reunião especial com a Coordenação da Rede de Educadores de Museus de Goiás no CCON. “Esse é o momento de levantarmos um questionamento sobre essa questão. Até que ponto estamos trabalhando para envolver essa paisagem cultural com as nossas ações”, destaca Tânia.

 
Fonte: O Popular.

Sobre o Autor

Ton Freitas


0 Comentários



Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário


(obrigatório)